Eu, prefeito.

SE EU FOSSE O PREFEITO, SERIA ASSIM:

(discurso, na praça da matriz)

"... e por isso, cumprindo a ordem da justiça, hoje retiramos os tratores dos trilhos dessa empresa que destruiu nosso município e nos deixou até sem água para beber.

Eu apenas espero que a população da nossa cidade entenda que essa é uma decisão da justiça, que precisa ser respeitada, afinal nós somos um município pequeno e nunca conseguiríamos impedir uma revolta da população. Uma revolta onde assumissem o controle dos nossos tratores e não mais bloqueassem os trens, mas arrancassem os malditos trilhos da Vale do chão, do nosso chão, impedindo qualquer trem de passar.

Não meu conterrâneos, nós não poderíamos impedir isso, especialmente hoje que eu mandei todo o nosso contingente policial lá para Mariana, em solidariedade, pra ver se estão precisando de alguma coisa.
É muita sorte nossa que ninguém saiba que as chaves dos tratores ficam na terceira gaveta da mesa do Joca, lá na Prefeitura, na sala ao lado do banheiro do primeiro andar (a segunda mesa, no fundo) e que antes de vir para cá eu pedi para encherem o tanque de todos os tratores. E também...

... ei? Onde vocês vão? Pessoal, volta aqui, eu ainda não acabei o discurso.

E não esqueçam! Terceira gaveta, segunda mesa do fundo! No barracão da prefeitura, do outro lado da rua tem umas correntes separadas e também umas enchadas se precisarem. É muita sorte que ninguém saiba dessas coisas."