Para tudo há um preço

Naquela noite o historiador faria um pacto com o Demônio.

"Você pode pedir o que quiser", disse o demônio com sua voz gutural e completou, quase tentando ser doce: "mas saiba que para tudo há um preço".

O historiador não era ingênuo, ele sabia do preço, ninguém se safa de um pacto com o demônio. Esse era o momento ideal para fugir dali, para deixar tudo para trás.

"Qual é o preço?", ele quase não acreditou em si mesmo quando fez a pergunta. A cobiça é provavelmente a única coisa maior do que o medo.

O demônio sorriu, eram muitos dentes. "Não é assim que funciona mortal, o preço eu estabeleço depois do pedido, isso não é uma feira, você não está comprando uvas, e eu sou o demônio".

Houve um silêncio em que só se ouvia o sibilar da respiração do demônio, um som grosseiro mas ainda assim suave, como uma serpente se arrastando rápido em meio a um cascalho fino.

"O preço", continuou o demônio, "será proporcional ao que for pedido".

"Eu quero ser capaz de compreender o mundo" foi a próxima frase do historiador. Não. Não era a cobiça. Maior que o medo há apenas a vaidade.

"Pois bem, está feito", disse o demônio mal disfarçando o sorriso. "Agora, sobre o meu pagamento..."

"Eu já sei, minha alma imortal", interrompeu o historiador.

Dessa vez o demônio explodiu em uma intensa gargalhada, que se fazia assustadora e obscena, por parecer muito sincera.

"Alma imortal? De onde você tirou isso? Rá rá rá, não, não, isso não é um filme de TV, isso é real, este é um pacto com o demônio de verdade".

O historiador estava genuinamente desconcertado com a reação do demônio, e até um pouco envergonhado por ter pensado em sua alma como pagamento.

"Mas então o que... ", ia formulando a pergunta quando o demônio o interrompeu:

"Você pediu para compreender o mundo, assim será, e o preço dessa compreensão, seu mortal arrogante, será viver cada dia de sua vidinha miserável, preso neste mesmo mundo, sem a bênção da ignorância dos seus irmãos".

E a demônio se foi, deixando o historiador no escuro, sozinho. Sozinho por toda sua vida.