Um Rei que era, antes de tudo, magnânimo

Foi então que o grande Rei perguntou ao peito de peru, como ele conseguia ter tão poucas calorias.

Orgulhoso o peito de peru se curvou diante do sábio Rei e respondeu: "o segredo, Vossa Alteza, é o sabor".

- Mas que sabor?, perguntou o rei curioso.
- Nenhum sabor meu Rei, nenhum sabor, nenhuma cor, nenhuma alegria.

A resposta do peito de peru calou a todos no salão, contente com o impacto que causava, ele continuou: "sem cor, sem sabor e sem alegria até mesmo vossa Alteza poderá ter poucas calorias."

O Rei nada disse, ele ficou ali, olhando para o peito de peru, aquele seu sudito esquálido.

O Rei refletiu. Realmente ele era magro, isso não estava em discussão. Mas ele também era pálido e sem graça.

O Rei olhou ao redor e viu que seu reino prendia a respiração esperando por sua decisão. Bolachas na prateleira de cima nem se moviam, um pacote de baconzitos tinha lágrimas nos olhos. Toda uma fileira de chocolates prendia a respiração dando as mãos para simpáticos salgadinhos de amendoim. Um pote de Nutella tinha o olhar perdido, olhando para ninguém em especial na geladeira.

Lá o Rei viu ovos, um altivo leite integral e uma bela, salgada e brilhante manteiga. O Rei sorriu, sem se dar conta de que sorria, quando pensou que aquele não era um reino de margarinas.

Vendo aquele sorriso no rosto do Rei, o peito de peru se ergueu, e falando para o Rei, mas também para todos que estavam lá, concluiu: "é chegado, meu Rei, o momento de sermos magros e saudáveis!"

Era um peito de peru atrevido. Tinha coragem para um magrelinho pálido. Nem mesmo o Rei negaria isso. E era um crente, ele realmente seguia o caminho dos magros.

Um arrepio subiu pela espinha do Rei, que já não tinha mais dúvidas sobre o que fazer.

O Rei acariciava sua barriga como a um cãozinho fiel enquanto assista ao peito de peru se retorcer e fritar sob o comando do batalhão Bacon, sua guarda pessoal.

Quando eles acabassem seriam todos temperados com maionese e servidos com pão branco. Ele vivera magro, mas morreria gordo e saboroso. O presente de um Rei que era, antes de tudo, magnânimo.

Os insurgentes saudáveis estavam cada vez mais ousados, iam cada vez mais longe, mas enquanto ele permanecesse como Rei aquele seria um reino gordo e feliz. Gordo e saboroso.

Naquela noite cada unidade no pacote de Bis da terceira prateleira dormiu tranquilamente, todos eles sabiam que seu Rei zelava por eles.