Pela justiça e pela verdade

- Filho! Onde você estava menino?
- Estava lutando mãe.
- Mas por quê?
- Pela justiça mãe, pela justiça e pela verdade.
- Mas até essa hora meu bem?
- O mal nunca dorme mãe, o mal nunca dorme.
- Tá, mas dá próxima vez pelo menos leva o seu casaquinho.
- Capa mãe, é uma capa não um casaquinho.
- O seu amiguinho sempre sai de casaco.
- Capa mãe, ele sempre sai de capa! E ele não é meu amigo, é um psicopata com métodos no mínimo questionáveis.
- Ele me pareceu um perfeito cavalheiro naquele carrão bonito.
- Não é um carro mãe, é um veículo de combate e a maioria daqueles acessórios são ilegais!
- O Sr. Hermínio também usa um desses acessórios ilegais, ele põe no cinto, diz que é para não apertar a barriga, mas pra mim aquele prendedor não deixa o cinto funcionar.
- Não é a mesma coisa mãe!
- É sim, eu vi no jornal que é um acessório proibido, mas você conhece o Sr. Hermínio, teimoso que só ele, imagine que outro dia...
- MÃE! Eu estou falando de coisas sérias aqui!
- E eu? Eu estou por acaso a dizer trivialidades? Só os seus amigos são importantes? É isso?
-Não mãe, desculpa, eu só...
- Não tem importância querido, sente aí que vou te trazer um chá quentinho para você dormir bem e sonhar com super-heróis.
- Tá bom mãe. 'brigado.