Incrível #pixo de responsa no centro de São Paulo. #graffiti #grafite

Acho que o primeiro ponto importante nesta imagem é que esse prédio é um ícone da arquitetura modernista, isso faz muita gente desejar a morte dos autores da "intervenção". Um v-a-n-d-a-l-i-s-m-o, dirão.

Mas esse vandalismo é uma manifestação. Talvez até artística, não? No mínimo ele exigiu coragem do autor e um desejo enorme de "interferir" no espaço urbano.

Há um "statement" neste tipo de coisa, mais do que em muita "arte" decorativa. Há algo sendo dito ali, e não é algo dito para gostarmos, é dito para nos ofender. É punk. Talvez arte.

E há um claro sentimento de não pertencer, de não partilhar nem o espaço, nem a cidade, nem os valores.

E há uma coragem féladaputa!


 

PIXO - 2010. Documentário Longa Metragem.

Direção: João Wainer e Roberto T. Oliveira

Documentário sobre pichação e pichadores. Analisa o impacto da pichação como fenômeno cultural na cidade de São Paulo e sua influência internacional como uma das principais correntes da Street Art. O documentário, que participou da exposição Né dans la Rue (Nascido na Rua), da Fondation Cartier pour l’Art Contemporain em Paris, aborda a realidade dos pichadores, acompanha algumas ações, os conflitos com a polícia e mostra um outro olhar sobre o tema questionando: pichação é arte ou é crime?

  • Diretores: João Wainer, Roberto T. Oliveira
  • Roteiro: João Wainer
  • Fotografia: João Wainer
  • Montagem: Carlos Milanez
  • Música: Ice Blue , DJ CIA, Tejo Damsceno
  • Produtor: Roberto T. Oliveira
  • Produtora: Sindicato Paralelo Filmes
  • Duração: 61 minutos