No futuro todas as ratoeiras terão os monogramas dos ratos

O Google tem meu e-mail. Todinho. Cada um deles, e isso faz anos.

O Google sabe onde meu telefone está, o que eu gosto de fazer e onde eu estou. O Google sabe o que eu procuro e o que eu leio. O Google adivinha o que eu quero fazer, ver ou ler.

Agora o Google quer mais. Quer "plus". Eu+

Sei.

Google+ né?

Eu sei como bancos de dados funcionam. Eu sei que não existe "delete", existe só "update". Nenhum registro some, eles só ganham "flags" que os impedem de ser exibidos. Mas eles estão lá. Na busca. Na "query".

E eu já era encanado com o Orkut, depois com o Facebook. As informações sobre mim lá são incompletas ou erradas de propósito. Não existe delete, mas existe update. O melhor jeito de se esconder em um banco de dados não é apagando registros, é contaminando os dados. Mudando dados reais para falsos. Quebrando as querys.

O Facebook eu entendi logo. Você não é o cliente, você é o produto. Meus amigos, família, fotos. Não. Eles não estão lá.

O Facebook é maligno, mas não sabe muito a meu respeito. O Google é bonzinho, mas sabe demais sobre mim.

Google+ né?

Sei.

É como esse iPhone do Steve Jobs no seu bolso. (Não. Esse iPhone não é seu. Não interessa se você pagou. Esse iPhone é do Steve Jobs e se você não concordar comigo melhor. Melhor para a Apple).

... interessante essa ideia dos círculos. Muito!

Você mesmo organiza seus contatos e diz para o Google a importância de cada um na sua vida. (Você precisa ser muito imbecil para achar que não tem problema fazer isso).

Minha opinião: Informação demais na mão deles. Na mão de qualquer um.

Minha sugestão: O melhor jeito de se esconder em um banco de dados não é apagando registros, é contaminando os dados.

Crie círculos com números. Coloque as pessoas dentro dos números sem deixar claro o critério de seleção.

Deixe os círculos padrão de Amigos, Família e Conhecidos vazios. Deixe eles tentarem adivinhar via algorítimo qual a relação de cada pessoa com você...

Eles vão conseguir. Mas vai dar mais trabalho.

Esse "+1" não é como o "curtir" do Facebook. Vai interferir direto nas buscas e influenciará os resultados. Para cada pessoa um universo, separado dos demais, personalizado.

No futuro todas as ratoeiras terão os monogramas dos ratos.

- - - - - - - - - -

Dê uma lida neste conto, do escritor Cory Doctorow:

[EN-EUA]: http://blogoscoped.com/archive/2007-09-17-n72.html
[PT-Portugal] http://osvelhotesdosmarretas.com/2007/11/scroogled.html

Depois entenda o que uma "Search Bublle:

[EN-EUA] http://www.ted.com/talks/eli_pariser_beware_online_filter_bubbles.html